Publicado por : Beton terça-feira, 23 de fevereiro de 2010


Afinal, é possível fazer com que o Mac OS X funcione em um computador comum? Sim. Estamos falando do Hackintosh, uma arte que vem dos sete mares e que desafia os reis de Cupertino. O próprio nome já é autoexplicativo: Hack + Macintosh, que significa Macintosh modificado.
Netbooks da Dell, aquele velho Positivo que você nem usa ou um notebook Acer: teoricamente, todos eles podem rodar o Mac, mesmo que para isso seja preciso trocar algumas pecinhas aqui e acolá. Porém, antes de ir mais a fundo na história, vale a pena ressaltar: Hackintoshes são voltados para usuários avançados que têm amplo conhecimento de hardware. Além disso, para embarcar nesta viagem, vista o seu gancho, tapa olho e scolha o papagaio: a prática do Hackintosh é considerada ilegal.

Mac e PC: farinha do mesmo saco?

Em 2005 a Apple anunciou que deixaria os processadores PowerPC de lado e daria início a uma nova era dos Macs, utilizando os da linha Intel - esse mesmo que você usa em seu PC. A partir deste dia, hackers de todo o mundo estavam de orelha em pé, atentos a cada detalhe e já criando planos mirabolantes que tornassem Macs e PCs mais próximos.
De bobo Cupertino não tem nada e, para diferenciar seu hardware dos demais computadores, solicitou que a Intel implementasse nos processadores do Mac uma tecnologia diferente da BIOS sada em PCs comuns. Assim, a EFI começou a ser usada e impedia que o Mac OS X rodasse, nativamente, em processadores BIOS.
Esta diferença entre BIOS e EFI dificultou um pouco as coisas, mas não foi o suficiente para barrar a criatividade e ousadia dos hackers. O PC deveria ser o mais parecido possível com um Mac original e, com algumas artimanhas, conseguiria rodar o Mac quase perfeitamente.

Contudo, com o nascimento do Mac OS X Leopard as coisas ficaram ainda mais fáceis para os piratas de plantão. Foi aí que surgiu o projeto OS86X, que visa estudar os Hackintoshes a fundo e oferecer ferramentas que melhorem a estabilidade do SO da Apple em um PC. 

O projeto, hoje, conta com centenas de usuários e sua Wiki cresce a cada dia.

São criadas listas de compatibilidade com partes de hardware (chipset, processador etc.) e até mesmo netbooks. Com estas informações mastigadinhas, ficou menos complicado construir sua réplica do Mac. Hoje em dia, Hackintoshes são criados a partir de máquinas com diversos chipsets e até mesmo processadores AMD. Entretanto, a regra do “quanto mais parecido melhor” prevalece.

O Sistema Operacional da Apple foi criado para funcionar em um hardware bastante específico. O Windows, em contrapartida, é capaz de rodar em diversas máquinas com as mais variadas especificações. Então, é óbvio que os PCs precisam de um caminhão de drivers de placa de vídeo, rede, entre outras para funcionar corretamente. Por isso, o Mac se mostra mais estável e dispensa a instalação de acessórios extras.

Então, não é de se surpreender que o Mac OS X não consiga funcionar perfeitamente em um PC cujo hardware não é aquele com o qual o software está acostumado. Você pode até fazer uma lavagem cerebral e convencer o seu PC de que ele é um Mac, mas mesmo assim o funcionamento não vai ser 100%.
O caminho dos Hackintoshes não é para qualquer marujo. As modificações exigem um pirata que entenda muito de hardware, que saiba inglês (a grande maioria dos fóruns e informações estão nessa língua) e que tenha muita, muita paciência. Então, em vez desta árdua tarefa, não seria mais fácil economizar um pouco e comprar um Mac de verdade? Afinal, além de ser complicado para montar e bastante frágil, o Hackintosh está no lado pirata do pomar. É isso: você pode até rodar o Mac OS X em um computador comum, porém, seria como construir uma Ferrari no jardim de casa.


Deixe sua opinião!

Assinar FEEDS! | COPIAR - (código)

- Copyright © Blog Intelly - Intelly Soluções Inteligentes