Arquivo de 01/04/10 - 01/05/10

★ Banda larga no Brasil

Somos um país continental, porém, no Brasil, a banda larga ainda é cara e não alcançou todo o território nacional. Conheça um pouco mais dessa realidade e saiba também o que vem por aí.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 35% da população brasileira teve acesso à internet no final de 2008. Transformando em números exatos, isso significa que 56 milhões de brasileiros utilizavam a rede mundial de computadores. Em 2009, o Ibope apontou um crescimento de 8,2% e, ao todo, 67,5 milhões de brasileiros foram considerados digitalmente incluídos, acessando a web regularmente de casa, do trabalho, da escola, de lan houses ou de bibliotecas.

Banda larga no Brasil

Apesar do crescente número de "brazucas" conectados, que em 2005 eram cerca de 1 milhão de residências, nossa realidade ainda deixa muito a desejar. Contudo, previsões apontam que a conexão via banda larga deve chegar a um número maior de brasileiros ainda neste ano.

Tratando do número de assinaturas de internet banda larga, ou seja, número de residências que possuíam a conexão, no final de 2009 eram 10,2 milhões a uma taxa média de R$ 96 de acordo com o Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea) e o Comitê Gestor da Internet (CGI).

O caso da região Norte

Se há crescimento de acesso, logo deve haver aumenta da cobertura, certo? Mais ou menos. Se tomarmos como exemplo a região Norte do Brasil, verificamos uma realidade totalmente diferente das demais: de acordo com os deputados federais Marcelo Serafim (PSB-AM) e Janete Capiberibe (PSB-AP), dos 62 municípios do estado do Amazonas, apenas a capital Manaus tem cobertura completa de banda larga e celular.

Os parlamentares propuseram um debate pela maior atenção à região, na Câmara dos Deputados, na Comissão da Amazônia, Integração Nacional e Regional. Do encontro, saiu a previsão de um representante do Ministério das Comunicações de que até o final de 2010, todos os municípios da região norte tenham cobertura para conexões banda larga.

Apesar de Manaus ser a única cidade completamente coberta por sinal de ADSL, o preço deixa muita gente fora da web. Isso porque uma conexão de 600 Kbps, maior velocidade disponível na região e oferecida pela operadora Oi, custa nada mais nada menos de que R$ 429,90, valor bem acima dos R$ 35 reais propostos pelo governo federal em seu plano de universalização da banda larga no Brasil.

Plano Nacional de Banda Larga

Levar internet de até 1 Mbps a preços acessíveis a 50% dos domicílios urbanos brasileiros até 2014: esse é o objetivo principal do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL), um estudo elaborado pelo Ministério das Comunicações e entregue ao presidente Luís Inácio Lula da Silva no segundo semestre de 2009.

Com investimento girando em torno de R$ 75 bilhões, a ideia é usar redes de fibra ótica já existentes no Brasil e que não vêm sendo utilizadas, para criar redes móveis e expandir o acesso à rede mundial de computadores até localidades que ainda não possuem o acesso. O plano ainda está em fase de elaboração, pois muito se discute em torno de sua implementação.

Plano Nacional de Banda Larga. Imagem: Divulgação/Governo Federal

O Plano não deixa de lado a internet móvel e pretende atingir, até 2014, 60 milhões de usuários pessoais. Outras metas do PNBL incluem internet banda larga para a totalidade de unidades da administração pública (federal, estadual ou municipal) e unidades de saúde, além de bibliotecas públicas e órgãos de segurança pública.

Para a zona rural, o PNBL projeta a implementação da banda larga em 15% dos domicílios, o que representa cerca de 1 milhão de pontos de acesso, bem como a implementação integral em unidades de saúde e escolas.

PNLB: público, privado ou misto?

O PNBL reaviva uma discussão sobre a necessidade ou não da intervenção estatal para democratizar o acesso à internet no Brasil, pois uma das possibilidades do plano é a reativação da Telebrás, estatal brasileira criada em 1972 e responsável por padronizar e modernizar os serviços de telefonia no país, mas privatizada durante o governo de Fernando Henrique Cardoso.

Modelo estatal

Essa posição, de um modelo estritamente estatal, é mantida pelo Ministério do Planejamento. Obviamente ela apresenta pontos positivos, como a facilidade de conferir um cunho social ao plano, visto que empresas do Estado não visam lucro e podem muito bem oferecer um serviço amplo e de qualidade.

Além disso, os planos disponibilizados pela estatal forçariam as empresas privadas a reverem seus preços. O ponto negativo fica por conta de uma hipótese: se a banda larga do governo não fosse a mais eficiente o consumidor sairia prejudicado. Contudo, a insatisfação em relação à qualidade e ao preço aplicado pelas telefônicas faz crer que pior não deve ficar.

Modelo privado

O Ministério das Comunicações, por sua vez, defende a gerência privada do PNBL, ou seja, o governo cede apoios fiscais às telefônicas para que elas comercializem os planos com os consumidores, inclusive em locais afastados dos grandes centros urbanos, aumentando o alcance e a qualidade e diminuindo o preço das mensalidades da internet banda larga no Brasil.

As vantagens de um plano gerenciado única e exclusivamente pela iniciativa privada seriam a experiência das empresas já existentes e também a possibilidade de novos investimentos no setor. Por outro lado, deixar novamente a banda larga sob a “mão invisível do mercado” não garante aos usuários nem melhoria na qualidade dos serviços, muito menos preços baixos.

PNBL: Internet acessível para todos!

Modelo misto

Por fim, a terceira via do PNBL é a economia mista, ou seja, com partição pública e privada. Essa via é defendida pelo Ministério da Casa Civil e nela a gestão da rede ficaria sob a tutela da Telebrás, contudo, a empresa não faria a venda direta para o consumidor, mas, sim, para pequenos provedores privados.

O Estado atuaria como provedor somente em locais mais distantes e menos povoados, ou seja, onde não houvesse interesse comercial por parte das empresas privadas. Com essa medida, com certeza surgiriam milhares de novos concorrentes no mercado, o que ajudaria a baixar o preço.

Além disso, a participação do Estado evitaria concorrência desleal e garantiria os preços baixos e também a oferta de serviços com qualidade por parte dos provedores. Essa medida também não agrada aos grandes “barões” das telefônicas no Brasil e acabaria por colocar o governo federal como único responsável por infraestrutura no setor, o que nem sempre é um ponto negativo.

Saiba mais

Para saber mais sobre as propostas do PNBL leia o artigo "O Brasil em alta velocidade" (clique para acessar o arquivo em PDF) elaborado pelo Ministério das Comunicações.

Banda larga econômica

Adiantando-se um pouco ao projeto do governo federal, a Telefônica, em parceria com o governo do Estado de São Paulo, oferece o serviço de banda larga com velocidade de 256 Kbps por R$ 29,80. Isso é possível pois o governo estadual isenta a empresa do ICMS, valor que corresponde a 25% do cobrado pela operadora.

É uma iniciativa louvável, porém, com um pouco mais de boa vontade isso poderia ser revisto. Claro que 256 Kbps é bem melhor do que os 56 Kbps de uma internet discada, contudo, ainda é muito baixo. Pelo valor cobrado, a empresa poderia oferecer uma velocidade maior, quem sabe de até 1 Mbps como versa o PNBL.

Classe C e a banda larga

Pesquisa do Programa de Estudos do Futuro da Fundação Instituto de Administração (Profuturo/FIA) aponta que, até 2020, metade da população que compõe a classe C terá acesso à internet. Desse montante de acessos, 60% será via conexão banda larga. De acordo com a mesma pesquisa, em 2008, apenas 7% do grupo tinha acesso a esse tipo de conexão.

As estimativas do Profuturo são de que, em dez anos, 99% da classe A esteja conectada na web via banda larga, valor também superior aos 64% de 2008. Para a classe B, a projeção indica um salto de 26% (2008) para 90%. Por fim, a classe D deve ascender de 1% para 25%.

A mesma pesquisa indica que quem mais sairá ganhando com a expansão serão as operadoras que oferecem serviço via cabo modem ou sem fio, que devem crescer 33%. Outro mercado em ascensão será o de conexão via rede WiMax, com 31%. Contudo, essencialmente no caso das classes C, D e E, o ADSL será a principal forma de conexão.

Internet móvel

A telefonia móvel de terceira geração (3G) começa a se consolidar no mercado de internet móvel brasileiro, seja para aparelhos de telefone celular ou computadores portáteis. Os novos padrões de telefonia utilizados permitem aos usuários muito mais do que apenas enviar e receber mensagens e completar ligações.

Internet móvelO suporte cada vez maior para novos serviços abre um mercado interessante para novas empresas no setor. Contudo, a relação custo-benefício acaba fazendo da internet 3G uma opção não muito viável para usuários caseiros quando se compara com planos de conexão banda larga via ADSL ou cabo.

As quatro principais operadoras de telefonia celular do Brasil, Oi, Vivo, Tim e Claro, oferecem o serviço de internet móvel. O plano com velocidade de até 1 Mbps (na verdade a velocidade varia de acordo com condições climáticas, posição e deslocamento do usuário) variam em algumas operadoras de acordo com o pacote de dados, porém, custam em média R$ 119,90.

O Plano Nacional de Banda Larga, porém, não deixa de lado a internet móvel. Como foi dito anteriormente, a meta é que até 2014 haja 60 milhões de pontos de acessos em todo o Brasil suportados pela rede de telefonia. Quem sabe com as melhorias da rede 3G e o advento de uma nova rede, a 4G , a internet móvel se popularize ainda mais por aqui.

Banda larga pelo mundo

É importante ver os esforços do governo federal para democratizar a banda larga e levar acesso aos locais mais ermos do enorme país que é o Brasil. Contudo, ao olhar para fora, é possível notar a enorme diferença tecnológica que há entre nações mais desenvolvidos e o Brasil.

Em Hong Kong, por exemplo, é possível acessar a internet com uma velocidade de 1 Gbps pagando apenas US$ 26 (cerca de R$ 45). A cidade de Berklye, na Califórnia, Estados Unidos, registrou a maior média de velocidade de transferências de dados: 18,7 Mbps para fazer um download.

Banda larga pelo mundo

A Finlândia, terra da Nokia e de Linus Torvalds (criador do Linux), é o primeiro país do mundo em que o acesso a banda larga (e com velocidade de 1 Mbps) é direito garantido por lei a todo cidadão. Ou seja, ninguém precisa pagar para ter uma conexão com excelente velocidade e qualidade. A partir do fim de 2016 nenhuma residência poderá estar a mais de 2 km de um ponto de acesso de 100 Mbps.

A realidade brasileira é bem diferente da de outros países também na internet móvel. Na Áustria, por exemplo, uma conexão de 21 Mbps custa, mensalmente, US$ 25 (cerca de R$ 44) com um pacote de dados de 19 GB. Obviamente, a operação de uma rede nacional na Áustria é bem mais barata, devido ao tamanho do país. Mas, de qualquer forma, a diferença de preço é exorbitante.

 STEVE JOBS: Eu sei o que eu faço

Ele se isolou espiritualmente na Índia, onde usou LSD para alcançar iluminação;
não se dá bem com Michael Dell; só come verduras e mariscos; brilhante, lindo,
genial e com cara de macho. Steve Jobs é um daqueles que mudam o mundo. E mudou!

steve-jobs-1984-macintoshHá situações em que a equipe se torna secundária e tudo está nas mãos de um único homem. Steve Jobs transformou a Apple no que é hoje, e faz com que a empresa se cague nas calças só em pensar que um dia ele vai morrer.

Steven Paul Jobs é fundador de empresas como a Apple, Pixar e NeXT (empresa especializada no desenvolvimento de computadores avançados). Ao lado de seu parceiro tecnológico Steve Wozniak, Jobs fundou a Apple Computer em 1976 com o lançamento do Apple I e logo depois o Apple II. Conhecida por seus computadores “criativos”, a Apple iniciou em 1979 o desenvolvimento de um projeto que iria revolucionar tudo em matéria de hardware e software. Era o então projeto Macintosh, que ainda estava em suas cabeças e no papel. Este projeto sugeria o desenvolvimento de uma interface gráfica baseada na navegação por ícones, pastas e janelas (a chamada GUI) tudo isso acionado por um mouse – naqueles tempos os computadores só usavam o teclado – e uma prévia demonstração da tecnologia foi vista por Jobs numa polêmica visita ao PARC da Xerox Corporation, o que lhe rendeu algumas acusações de espionagem industrial, sem nenhuma prova concreta, fato que ainda não foi totalmente esclarecido e ao que tudo indica, o modelo do sistema da Xerox foi apenas uma inspiração que desencadeou a criação do primeiro Mac OS, o sistema operacional mais avançado do mundo, padrão nos Macintosh.

stevejobs19751Em 1984, a Apple lançou o Machintosh, o primeiro computador pessoal com recursos de desenho e tipografia, além de uma interface gráfica pioneira e agradável aos olhos. Ele preconizou todos os futuros PCs dali em diante – por isso Jobs é considerado o “Pai do Macintosh”.

Devido a sua personalidade “forte”, Steve Jobs foi obrigado a deixar a Apple em 1985, pelo conselho de administração da empresa. Em 1986, comprou a “The Graphics Group”, da Lucasfilm, nas mãos de George Lucas — que mais tarde seria renomeado para Pixar -, que anos mais tarde ficou famosa por uma nova linguagem de animação 3D para desenhos animados. Na década de 90, a Pixar, sob liderança de Steve Jobs, produziu o primeiro filme infantil animado na sua totalidade por computador, “Toy Story”. Hoje a Pixar é um dos maiores estúdios de filmes animados do mundo, ao lado da Disney. Com a venda da Pixar a Disney, Jobs se tornou acionista majoritário (DONO) da Disney.

steve-jobs-holding-iphoneJobs também não é um daqueles que morre fácil, já se recuperou de um câncer no pâncreas, do tipo que só 5% das pessoas que tem sobrevivem. E do tipo que depois da cirurgia, o paciente só vive, geralmente, no máximo 5 anos.

Depois de sua saída, a Apple entrou em declínio total, na verdade, a beira da falência, salvando-se apenas graças a Microsoft, que comprou 400 MI em ações da empresa, para ajuda-la a se reerguer (“num leva a mão não, mas o mercado é melhor com nós dois, porque assim eu posso lhe imitar”). Depois de anos em declínio total, Steve Jobs foi chamado de volta para ocupar seu devido lugar na Apple, reerguendo a empresa de forma absurda e grandiosa, pagando a divida de 400 MI com a Microsot (Que vendeu as ações de volta pelo mesmo valor), e transformando novamente a Apple na empresa mais criativa e visionária de todos os tempos.

Jobs é adotado e abandonou a faculdade para poder fundar a Apple. E isso reforça suas qualidades como admistrador, uma vez que a faculdade estava atrapalhando sua vida, ele a abandonou, assim como muitos outros.

Steve.Jobs.2005Steve Jobs é o pai do IPod, Iphone, ITunes e do Imac. Suas idéias revolucionaram o mercado e transformaram a Apple no que é hoje. Sua genialidade é reconhecida mundialmente e tudo que a Apple (ele) inventa hoje é copiado pela Microsoft. Jobs é, sem dúvida alguma, o mais brilhante em seu ramo. Revolucionou a forma como ouvimos música, gerenciamos nossas músicas, nossos arquivos, revolucionou a forma de se pensar em computadores e o que eles podem fazer. Ele foi o precursor da animação 3D. Ele viabilizou boa parte das tecnologias que nos cercam hoje e merece o devido respeito. Deus engraxa as botas desse cara, ele é “foda”.

Assista ao trailer do Filme “ Os piratas do vale do silício“, que conta a história da Apple e da Microsoft. E veja também (abaixo) o discusso de Jobs para os formandos de Stanford, onde ele mesmo conta sua história.


★ Scatman John é o cara!


John Paul Larkin ou melhor Scatman John...
Um icone de uma geração!
Um dos tiozinhos mais cool que já existiu, Scatman John é a maior
celebridade da década de 90! É o unico homem capaz de fazer todos
sons estranhos e ruidos impossiveis determinaveis infinitos e ininterruptos
com a boca! Senhor da música!! Pastor dos baladeiros!!
Sua voz ecoará eternamente dentro de nossas cabeças!!
Se quando você escuta aquele "pipapaparopo papaparopo" suas pernas se
mexem sozinhas, você sente uma incontrolavel vontade de dançar, esquece de
seus problemas e apenas lembra do "pipapaparopo" então você
tem um Scatman's life style!!!

* sobre Scatman

- Scat é um termo vindo do Jazz, o qual identifica a técnica de
improvisação vocal em cima de uma melodia. O que importa é vocalizar
em cima do som, sem se preocupar com as palavras se importando
somente com a sonorização;

- Scatman era gago;

- Faleceu no dia 3 de dezembro de 1999.

conhece scatman? tá curioso pra saber quem é esse cara?

pros dois casos, eu como sou fã dele, disponibilizo aqui a discografia completa.
e uma musica, a mais famosa, disponibilizada separada pra download, para aqueles
desconfiados ouvirem antes de baixar a discografia...

Musica Preview:

Discografia (postada no Megaupload):

★ Flight Radar: acompanhe voos ao vivo, no mundo todo

Andando pela internet estes dias, achei algo interessante...
não é nada muito divertido como um Flight Simulator, mas é
interessante pelo fato de ser real...
é o Flight Radar, com ele você pode acompanhar voos em tempo
real no mundo todo. a tecnologia que permite esse rastreamento
é chamada ADS-B. Ao clicar nos aviões, é possivel encontrar várias
informações sobre o trajeto, modelo do avião, velocidade, etc…
Lançado em 2007, a rede é bastante forte no norte e centro da europa.
No Brasil a cobertura é mais restrita.

mas vale a pena verem, Clique aqui para ir ao site

★ Como ressuscitar um DVD riscado?



Depois de muito procurar em bagunçadas gavetas, você acha aquela mídia perdida há séculos. Fim do problema? Não! O DVD está todo riscado e seu drive não consegue ler os dados. Se você já passou por isso, anime-se, há solução. E ela está em cima da pia do banheiro.

Não é lenda. Testei eu mesmo e funciona: polir uma mídia riscada com pasta de dente realmente dá uma sobrevida a um DVD velhão. Isso acontece porque as substâncias abrasivas do creme dental removem parte de uma película plástica que protege a mídia e assim pode facilitar a leitura dos dados.

Para fazer essa gambiarra, é necessário de um pouco de pasta de dente branca (tipo Colgate ou Sorriso), um pano fino que não solte fiapos e MUITA LEVEZA nos seus gestos. O polimento da mídia NÃO deve ser circular. Não use força e movimente a mão sempre do centro para a borda do disco. Depois disso, lave a mídia com água, enxugue sem esfregar, e deixe secar longe do sol.

Os resultados variam muito dependendo do tamanho dos estragos no DVD. Geralmente, discos que sofreram acidentes (como serem pisoteados) não conseguem sobreviver. Mas geralmente, dá certo. O importante é tomar cuidado triplicado com a mídia depois do polimento, uma vez que sua película protetora é removida. E novos riscos podem causar danos irreversíveis.

Na minha experiência, um DVD riscado não me deixava terminar de copiar um arquivo grande. Depois do polimento, ele funcionou. Com o Eric Costa, colaborador da INFO, que escreveu sobre esse mesmo tema na edição 289, um disco com problemas de leitura em onze arquivos teve oito arquivos recuperados após a gambiarra.

BÔNUS TRACK #1
Na matéria do Eric há outra dica legal para recuperar arquivos de mídias danificadas, é o programa Unstoppable Copier. Ele tenta ler várias vezes cada arquivo, no caso de erro, além de gerar relatórios detalhados do que não foi possível copiar.

BÔNUS TRACK #2
Há um vídeo no YouTube em que recomendam uma gororoba inusitada para remover os arranhões dos DVDs. Trata-se de polir a mídia com uma camada pasta de dente, uma camada de manteiga de amedoim e depois deixar o disco boiando em uma mistura de Coca-cola. Não tive coragem de testar isso. Mas, se você estiver desesperado...

★ Aprenda a liberar portas em um roteador facilmente

Esqueça os complicados sistemas de configuração dos roteadores. Um só programa pode fazer tudo para você.

A internet banda larga já é realidade no Brasil para muitos usuários e a quantidade de computadores presentes em uma só residência aumenta todos os dias. Com isso, surge a necessidade de compartilhar a conexão entre os diversos PCs, sem que o usuário precise pagar por uma assinatura para cada uma das máquinas.

Para fazer o compartilhamento, são usados dispositivos chamados roteadores, que possuem diversos conectores. Eles são usados para distribuir a conexão entre os PCs, já que só é possível conectar um cabo de rede por vez ao modem.

A felicidade de adquirir um roteador, porém, pode acabar assim que o usuário o liga, pois diversas configurações são necessárias para fazê-lo funcionar corretamente e com segurança. O problema é que atualmente a grande maioria dos roteadores não possui sistemas de configuração amigáveis.

Na realidade, somente usuários mais avançados são capazes de entender o que cada uma das configurações faz e alterá-las sem causar problemas. Mesmo iniciantes gostam de usar programas compartilhadores de arquivos, jogos, mensageiros e diversos outros.

No caso específico de compartilhadores e jogos, muitas vezes há a necessidade de serem liberadas portas de comunicação para que eles funcionem com velocidades satisfatórias e sem problemas de queda de conexão.

Abrindo portas no roteador.

Sabendo disso, produzi este artigo para ensinar você a liberar as portas do seu roteador sem precisar entrar no sistema de gerenciamento dele.

1. Pré-requisitos

— Roteador: partiremos do pressuposto que o seu roteador já está ligado na tomada de energia e o cabo de rede já está plugado no seu PC — no caso de roteadores com antena para conexão wireless, não é necessário o cabo de rede.

— Simple Port Forwarding: programa simples que dispensa o uso do sistema operacional que vem embutido em todo roteador. Ele possui suporte para marcas e modelos mais populares. Clique aqui para baixa-lo

2. Faça você mesmo

Seu computador envia e recebe dados de e para a internet através de portas de comunicação. Porém, essas portas ficam sempre fechadas, a menos que um programa autorizado as abra. Da mesma forma, o seu computador e o roteador também se comunicam através de portas, que também vêm fechadas por padrão.

Para facilitar a configuração do seu roteador, o melhor é utilizar um programa que automatize a tarefa. Dessa maneira, se por algum motivo você tiver que trocar o aparelho ou mesmo se você se conecta em várias redes diferentes — como em casa e no trabalho —, você precisará de somente uma ferramenta.

Simple Port Forwarding

A instalação do programa é simples. Vá clicando em “Next” até que ela seja finalizada. Depois inicie-o e aguarde a verificação de novas versões. Caso apareça uma mensagem solicitando a atualização, clique em “Sim” ou “Yes” (dependendo do idioma do seu Windows).

Depois de feitas as atualizações, ou mesmo se elas não forem necessárias, é exibida uma janela de nome “Getting Started” (Começando). Felizmente, essa tela possui todas as configurações necessárias para liberar as portas desejadas do seu roteador.

Começando

*Note que existem números que representam os passos a serem seguidos. Nosso tutorial mostrará os passos exatamente na ordem em que eles aparecem nessa lista.

Se você por acaso fechar a janela “Getting Started” por acidente, basta fechar o programa e abri-lo novamente para que ela reapareça.

O campo (1) “Update Router List” (Atualizar lista de roteadores) serve para que seja baixada a lista de roteadores suportados pelo programa, bem como suas configurações padrão. Clique no botão “Do it now” (Faça agora) para atualizar a lista, garantindo assim que eventuais atualizações sejam incorporadas.

Em seguida, no campo (2) “Select Your Router & Set Login Info” (Selecione seu roteador e preencha informações de login), clique no botão “Do it now” para abrir a lista de roteadores suportados pelo programa.

Selecionando marca e modelo do roteador.

Os roteadores estão ordenados por nome de fabricante e modelo. Localize o seu e dê um duplo clique sobre o nome dele. Se você não souber essas informações, procure-as no manual do dispositivo. Geralmente o modelo está impresso já na capa do manual.

IMPORTANTE: o Simple Port Forwarding utiliza as informações de login e senha que já vêm definidas de fábrica. Se você alterou esses dados, preencha-os na janela principal do programa, nos campos demonstrados na imagem a seguir:

Repare que, quando você termina cada um dos passos, aparece uma marca como a destacada na imagem abaixo. Isso é útil para que você tenha a certeza de que já realizou aquela tarefa.

Passos já realizados ficam marcados.

O próximo passo é configurar o endereço IP do computador para que ele seja sempre o mesmo. Chamamos isso de “IP estático” e é necessária essa alteração, pois sempre que liberamos portas no roteador, precisamos definir qual será o computador que as utilizará, pois as regras de liberação de portas apontam sempre para um único endereço IP.

No campo (3) “Set your local IP to a static IP” (Definir seu IP local para estático), clique no botão “Do it now”. A janela que se abre mostra as informações atuais no campo “Current Info” (Informações atuais) e, no campo “New Info”, as que substituirão. Note que o Simple Port Forwarding detecta as configurações atuais e se baseia nelas para definir as novas.

Clique no botão “Enable Static IP” (Habilitar IP estático) e aguarde alguns segundos. O programa parecerá estar travado, mas isso acontece quando os dados estiverem sendo alterados. Uma caixa de diálogo com o texto “Done!” (Feito!) é exibida se a mudança for realizada com sucesso. Depois, clique em “OK” e feche a janela para voltar para a lista de tarefas.

Clique em OK.

IMPORTANTE: para liberar portas, você já deve ter os programas instalados no computador. Isto é, se você quiser liberar portas para o eMule, ele já deve estar instalado na máquina.

Chegou a hora de fazermos o que realmente precisamos, que é liberar as portas utilizadas em nossos jogos, programas de torrent, compartilhamento P2P, etc. Clique no botão “Do it now” do campo (4) “Choose which ports you need to forward” (Escolher portas a serem encaminhadas).

A janela de configuração das portas parece mais complicada que as outras, mas lendo nosso tutorial, você verá que ela é mais simples do que aparenta.

Tela de adição de programas.

Repare que há dois botões no topo da janela: “Database” (Base de dados) e “Add custom” (Adicionar regra personalizada). O primeiro já vem habilitado, para que você encontre o programa desejado na lista.

Caso você não tenha entendido: o Simple Port Forwarding traz uma lista de softwares, bem como as configurações padrão necessárias para liberar as portas que eles utilizam.

Ou seja, você não precisa entrar nas configurações de cada programa para checar essas informações, a menos que o software não esteja na lista, o que é improvável. De qualquer forma, ensinaremos as duas maneiras.

Adicionando programas a terem suas portas aberta.

Com o botão “Database” pressionado, clique na lista que fica logo abaixo do campo “Program database” e escolha o programa para o qual você deseja liberar as portas. Em seguida, clique no botão “Add”. Neste exemplo, usei o jogo World of Warcraft, pois tenho ele instalado no computador.

Se você estiver liberando portas para programas de download P2P, como eMule, LimeWire, BitTorrent ou uTorrent, utilize a lista que fica logo abaixo do campo “or Choose a Special Program” (Ou escolher programa). Escolha o programa desejado, clique no botão “Add” e feche a janela.

Adicionando programas de compartilhamento.

Essa segunda configuração é necessária para os programas de compartilhamento porque a grande maioria deles usa uma porta aleatória a cada execução. Entretanto, o Simple Port Forwarding verifica e a adiciona automaticamente a porta utilizada no momento. Depois de clicar no botão “Add”, feche a janela.

Se o programa para o qual você deseja abrir portas não estiver em nenhuma das duas listas, é possível adicioná-lo manualmente. Para isso, utilize o botão “Add Custom”, conforme a imagem:

Adicionando programas que não estão na lista.

*A princípio, você provavelmente não precisará do botão “Add Custom”, a menos que utilize programas pouco conhecidos.

Depois de feitos os passos anteriores, precisamos enviar os dados ao roteador. No campo (5) “Update the router”, clique no botão “Do it now” e aguarde. Uma janela é aberta e nela são mostrados os passos detalhados realizados pelo programa, bem como a página de configuração do roteador.

No final, você pode checar as mensagens para ver se ocorreu algum erro. Se os dados fornecidos por você estiverem corretos, não há por que haver qualquer problema.

Ainda não terminamos, mas estamos quase no fim. Antes de testarmos as portas para ver se elas estão realmente abertas, devemos liberá-las também no firewall nativo do Windows. O Simple Port Forwarding também é capaz de fazer isso.

Configurando o Firewall do Windows.

Clique no botão “Do it now” do campo (6) “Add ports to the Windows Firewall” (Adicionar portas ao firewall do Windows) e aguarde até que o procedimento seja executado. Uma janela exibe o progresso e o resultado. Feche-a depois que a tarefa terminar.

O último passo é testar as portas que acabamos de abrir, para verificar se tudo foi feito da maneira correta. No campo (7) “Test that the ports now work” (Testar para ver se as portas estão funcionando), clique no botão “Do it now”. Uma nova janela é aberta.

Clique no botão “Begin” para que o teste de comunicação comece. Se todos os passos tiverem sido seguidos corretamente, uma mensagem de sucesso aparecerá no quadro da direita.

Pronto! Seu roteador está com as portas liberadas para que seus programas se comuniquem sem problemas com a internet.

O que pode dar errado?

— Se você tiver entrado nas configurações do roteador anteriormente e alterado as informações de login e/ou senha, o Simple Port Forwarding não conseguirá efetuar login.

Por isso, antes de qualquer coisa, use os campos adequados da janela principal do programa para digitar o nome de login e a senha definidos por você na configuração do roteador;

— Alguns roteadores possuem configurações adicionais para a definição de IPs estáticos nos computadores conectados a eles. Se o computador perder a conexão no momento em que você definir um IP fixo, desfaça a alteração e procure mais informações sobre o a configuração DCHP do roteador.

- Copyright © Blog Intelly - Intelly Soluções Inteligentes