Arquivo de 01/05/11 - 01/06/11

★ Nos EUA, na compra de um PC, um Xbox 360 sai de graça.

Iniciativa da Microsoft visa o público estudantil. Oferta válida para compras acima de US$ 699,00


A Microsoft anunciou uma promoção muito generosa para os estudantes americanos. Quem apresentar o seu número de identificação estudantil e comprar um notebook ou computador com Windows 7 de pelo menos US$ 699 (cerca de R$ 1100, de acordo com a cotação do dia de hoje) leva junto um Xbox 360 de 4GB na hora.

A promoção começa no dia 22 de maio e vai até o dia 3 de setembro. Por enquanto, ela é válida apenas para os estudantes dos Estados Unidos. Contudo, logo a oferta deve se estender para os residentes do Canadá e da França. Infelizmente, não há nenhuma indicação por enquanto de que algo semelhante possa vir a ocorrer no Brasil.

★ Alterar/Substituir ícones no Windows



Diás atrás postei algo para a plataforma Mac. A personalização está tão presente em ambos sistemas que não pude deixar de fazer um post também para nossos amigos Windows User's. Quem estiver curioso pra ver como ficou o ultimo post de personalização de ícones pro Mac, clique aqui

Mas vamos falar do Windows agora :D
como sabem, o Windows não possui a famosa Dock do Mac. O que de fato, quer ou não, nos fazem e nos forçam à ser um tanto quanto desorganizados e bagunceiros. Ou vai falar pra mim que sua desktop não está cheia de ícones??? Enfim... pra solucionar isto e dar uma aparência mais cool à sua àrea de trabalho no Windows, é que sugiro o Rocket Dock!!! O aplicativo é leve, eficaz e trabalha bem em paralelo às outras atividades do Windows, além claro de ser freeware!

Antes de iniciarmos o tutorial em video que eu mesmo fiz, baixem o aplicativo clicando aqui
Lembrando que o aplicativo é multi plataforma, ou seja, é compátivel com versões x86 e x64. O seu tamanho é 6.20Mb

Isso ai, com aplicativo baixado e instalado deixe a sua antiga e desorganizada desktop de lado....
... e vamos organizar isso!

Lembrando que, os ícones devem estarem no formato (.PNG), independente de onde vocês baixem os ícones, lembrem-se sempre disso! No post anterior quando mostrei a personalização do Mac, eu usei como referência o site Findicons, não há problema algum em usá-lo no método do windows, desde que baixem os ícones em (.PNG). Eu tenho poucos ícones personalizados em minha RocketDock, mas, se tiverem interesse em algum dos meus quando virem no video, cliquem aqui para baixar meus ícones.

e aqui o video:






★ Como manter seu PC ligado fazendo os downloads enquanto você dorme

Gostaria que seu computador se autodesligasse somente depois de fazer aqueles downloads da madrugada? Aprenda como!


Você é daqueles que gostam de baixar tudo que a internet tem a oferecer? Então já deve ter sentido a necessidade de manter seu computador ligado fazendo o download enquanto você faz outra atividade, como dormir, por exemplo.Também já deve ter notado que seria ótimo se seu computador fosse inteligente o suficiente para se autodesligar assim que terminar o download, não antes e nem depois. Seus problemas acabaram!

Antes de seguirmos com o tutorial, baixem o aplicativo Shutdown Timer 3.0


Faça você mesmo! Desabilitando o autodesligamento

Por padrão, os computadores entram em estado de hibernação depois de ficarem por um tempo sem atividade, como uma medida para poupar energia. Mas, apesar de você não estar mexendo nele, seu PC vai estar ocupado fazendo os downloads e precisamos evitar que isso ocorra.

Abra o Painel de Controle no menu Iniciar. Em seguida, acesse a opção “Hardware e Sons”, “Opções de Energia”. Então, clique em “Alterar configurações de plano” do item que estiver marcado.


A tela em que você modifica as opções de desligamento automático vai aparecer. Mude o estado de “Suspender atividade do computador” para “Nunca”.


A opção “Desligar vídeo” pode ficar configurada com algum tempo se preferir, já que o desligamento do monitor não influencia nas atividades sendo executadas.

Configurando o Shutdown Timer

Depois de instalado o Shutdown Timer, abra o aplicativo. A ferramenta dispõe de várias opções de parâmetros de desligamento, mas a que nos interessa é a configuração baseada nas atividades de rede. Clique em “Networking”.


A tela a seguir mostra diversas opções. A primeira indica qual ação deve ser tomada depois que a atividade de rede cessar. Use “Shutdown” para desligar, “Hibernate” para hibernar ou “Sleep” para colocar o computador para dormir. Em seguida, é necessário escolher o adaptador de rede que você vai usar para fazer o download, já que seu computador pode ter mais de uma placa Ethernet ou mesmo ter conexão com fio e wireless. Note que a atividade de Download e Upload são mostradas ao lado.


As opções abaixo determinam as condições-alvo. Como nosso objetivo é desativar o PC quando o Download terminar, deixe a opção “When the” como “Download” e “speed is” como “Below”. O campo “kbps” indica e velocidade mínima. Use um valor maior que zero (já que o computador pode sempre fazer uso a rede) e menor que a velocidade média de download, já que a conexão pode oscilar. Um bom valor para a maioria dos usuários seria 20 Kbps, mas poderia ser menos, dependendo da velocidade de download que sua conexão pode atingir.Por último, indique o tempo de inatividade; 5 minutos é um bom parâmetro. As configurações devem ficar parecidas com isso:


Traduzindo, a frase que forma é: (Desligar) “Quando a velocidade de DOWNLOAD ficar ABAIXO de 20 kbps por 5 minutos.” Clique em “Activate” para começar a monitorar.

Uma tela deverá fica aberta mostrando o status da rede e o tempo restante. A contagem inicia assim que a velocidade de download ficar abaixo do mínimo estabelecido, mas pode ser reiniciada caso a atividade retorne, evitando que seu PC seja desligado acidentalmente se a conexão se perder por um breve momento. Mantenha esta tela aberta para que Shutdown Timer funcione.


Pronto! Agora você já pode dormir tranquilo, com a certeza de que seu computador não vai interromper o download antes da hora e também não vai ficar ligado durante a madrugada inteira, fazendo barulho e gastando energia.

Resumo:

A diferença deste aplicativo para os outros demais do gênero, é que este está interagindo com seu download. A maioria dos aplicativos de desligamento automático usam uma espécie de cronometro, onde a unica função é cronometrar o desligamento do computador. Pra isso, você terá que ''adivinhar'' quanto tempo em média seu computador precisará ficar ligado pra baixar o aplicativo até que o mesmo se desligue. Já com o aplicativo apresentado acima é diferente, seu computador apenas se desliga ao término do download. Mas, se preferirem um simples cronometro pra desligar o computador, o mais simples é o ''Desliga Ai''


Funções
*Desligar somente o monitor;
*Desligar, reiniciar, logoff, modo de espera ou hibernar;
*Exibir uma mensagem personalizada na tela;
*Possui uma tela de opções onde pode-se escolher para iniciar o programa na inicialização do Windows.

Download aqui

★ Pirate Bay esconde novos servidores em caverna na Suécia


Enquanto discutimos sobre a criminalização do torrent, o Pirate Bay continua funcionando firme e forte, apesar dos problemas judiciais que responde contra a RIAA (associação que reúne as indústrias fonográficas) e os mandatos da Interpol para desativar o site.A nova medida tomada pelos donos da página da internet foi esconder ainda mais os servidores que mantém tudo funcionando. Eles foram abrigados em uma caverna localizada numa cadeia de montanhas em Malmo, cidade da região sul da Suécia. O local exato, entretanto, não foi divulgado pelos proprietários do site.Os dez computadores rodam a partir de um processador Xeon 5620. Oito deles contam com 12 GB de RAM, enquanto os outros dois possuem o dobro dessa capacidade. A equipe já possui outros sete servidores, que foram movidos para outro local secreto na capital Estocolmo. As mudanças nos servidores não devem afetar muito o desempenho do site, além de diminuírem as quedas da página consideravelmente.



entendendo sobre Torrent
O BitTorrent é um protocolo de compartilhamento de arquivos desenvolvido com o propósito de facilitar a distribuição de grandes quantidades de dados. O diferencial da tecnologia se deve ao fato de que, em vez de baixar arquivos de uma única fonte, o BitTorrent permite que os usuários façam o download do mesmo arquivo a partir de muitas fontes ao mesmo tempo. Isso faz com que o protocolo seja uma ótima alternativa para quem tem conexões instáveis ou com pouca largura de banda. Quem quiser distribuir algo via torrent precisa, primeiro, criar um arquivo que descreve o compartilhamento. É por meio desse arquivo que os usuários poderão baixar o conteúdo compartilhado pelo “dono” do torrent. Durante a transferência, o arquivo que está sendo distribuído é dividido em pequenas partes e, assim que um usuário completa a transferência dessas partes, ele também começa a fornecê-las para quem ainda não as possui. Além disso, cada parte é protegida por um hash que atesta a sua autenticidade, evitando assim que alguém possa enviar, facilmente, arquivos adulterados com códigos maliciosos para outros usuários.Esse método faz com que a transferência fique cada vez mais rápida e confiável à medida que novos usuários completam o download. Isso também possibilita que o distribuidor original do conteúdo economize recursos de hardware e de rede, além, é claro, de tornar a disponibilidade dos dados mais persistente, fazendo com que eles continuem disponíveis, mesmo que alguns usuários estejam offline.

É ilegal usar o BitTorrent?
Não há nada de errado em usar o protocolo BitTorrent. Na verdade, muitas empresas ou grupos de desenvolvedores chegam a compartilhar seus produtos por meio dessa tecnologia.Um bom exemplo de uso são as distribuições Linux, que compartilham imagens de seus sistemas de maneira distribuída, aliviando, assim, o uso dos recursos dos servidores. Quem se aventura em World of Warcraft também já deve ter percebido que os patches para o game são distribuídos via torrent.Além desses, podemos citar o governo do Reino Unido, que usa o BitTorrent para distribuir aos cidadãos os detalhes sobre como foi gasto o dinheiro recolhido por meio de impostos. E, acreditem se quiser, há gravadoras que vendem CDs entregues via torrent, como é o caso da Adamant Records.

★ Alterar/Substituir ícones no Mac OS X


Olá pessoal, hoje vou ensinar à vocês um método de personalização do Mac OS X que vai deixa-lo com a sua cara! Ensinarei como modificar os ícones de atalhos dos aplicativos na Dock. É um dica fácil, sem erros e segredos, bastam terem em mãos o aplicativo Img2icns, este permite a conversão de arquivos .PNG para .ICO/.ICN/.FOLDER e vice-versa...

Antes de começarmos cliquem aqui para baixar o aplicativo.
Após o término do download, extraia-o do zip e mova-o para a pasta "Aplicativos"
Em seguida, com no aplicativo aberto vão até "Preferences"


Depois, insiram o e-mail e serial nos campos indicados conforme a imagem:


Com o aplicativo ativado estaremos pronto para começarmos a personalização, e para auxiliá-los nesta etapa, eu fiz um video mostrando passo-a-passo:






★ Por que os novos processadores Bulldozer da AMD vão esquentar o mercado?

Com nova arquitetura, AMD pretende vencer a próxima rodada no combate de processadores. Conheça os detalhes das futuras CPUs da fabricante que vem desafiando a Intel há anos.



O ano era 2003 e a Advanced Micro Devices estava lançando o famoso Athlon 64. Destoando de seu antecessor, o Athlon XP, este trazia uma nova arquitetura, a qual foi nomeada como AMD64. O rumo da AMD estava bem trilhado com a novidade nos chips da época, pois eles conseguiam concorrer em pé de igualdade com as CPUs Intel. O tempo passou e as duas fabricantes lançaram novos processadores. A AMD preferiu evoluir sua arquitetura AMD64, adaptando algumas estruturas internas para prover melhor desempenho. As CPUs de múltiplos núcleos da fabricante faziam bonito, porém, a Intel parecia sempre estar um pouco à frente.

Não que o desempenho de processadores como o Phenom e o Athlon fosse desprezível, mas notava-se que em muitos testes a Intel levava certa vantagem. Essa era a situação até o relógio indicar meia-noite , momento em que a AMD cansou de insistir na arquitetura AMD64. O lançamento da linha Intel Core, principalmente quanto aos modelos i3, i5 e i7, despertou a AMD. A fabricante então decidiu trilhar um caminho diferente: adotar uma nova arquitetura. Sim, estamos falando da Bulldozer, a palavra que vem significando muito para a AMD e despertando grande curiosidade nos consumidores.

Nova arquitetura, algumas heranças

Apesar de a AMD ter decidido voltar à estaca zero e criar uma arquitetura completamente diferente da que vinha utilizando, a fabricante decidiu não descartar as características que tinha como eficientes. Por isso, algumas coisas ainda permanecem iguais, aliás, parecidas.



O controlador de memória integrado é um dos recursos que não será jogado fora. Isso porque a ideia de introduzi-lo nos processadores AMD64 foi tão genial que até mesmo a Intel decidiu adotar a característica em seus processadores mais recentes. Esse componente interno dos processadores AMD garante que o chip principal se comunique em alta velocidade com a memória cache (do próprio processador) e com os módulos de memória RAM. Outro detalhe que foi mantido intacto foi o barramento HyperTransport. Caso você ainda não saiba, é graças a esse barramento que os processadores AMD se comunicam de forma mais eficiente com o chipset e, consequentemente, com os demais componentes do computador.

Pequena alteração

Nem todos os detalhes sobre as novas CPUs AMD foram revelados, porém, a fabricante já afirmou que os novos processadores utilizarão o soquete AM3+. Isso significa que a quantidade de pinos deve ser a mesma dos modelos compatíveis com o padrão AM3, porém, também indica que haverá certa incompatibilidade entre os Bulldozer e as placas-mãe antigas. Apesar disso, algumas marcas, como a ASROck, já anunciaram que vão lançar atualização de BIOS para as placas antigas. Segundo a fabricante, a mudança no software principal da placa-mãe vai possibilitar o uso das CPUs com arquitetura Bulldozer em placas com soquete AM3. Agora você deve estar pensando: se o AM3 consegue trabalhar com os novos modelos da AMD, por que trocar de soquete?

Na realidade, a troca de soquete não é apenas uma jogada de marketing ou qualquer coisa do tipo. O AM3+ tem muitas diferenças se comparado com o AM3. A primeira delas é a capacidade de regular com maior precisão a tensão. Outra diferença está na parte física: os buracos para o encaixe dos pinos são mais largos. Isso sem contar as tantas mudanças técnicas na parte elétrica. Vale frisar que placas-mãe com soquete AM3+ devem refrigerar melhor os processadores.

Principais mudanças, dois que valem por quatro.

Como já citamos, a AMD decidiu reestruturar a arquitetura de seus processadores. Isso significa que o posicionamento das peças dentro das CPUs foi alterado. Os Bulldozers trabalharão com módulos, sendo que cada um terá dois núcleos. Esses módulos compartilharão alguns recursos, como o Fetch (unidade que recebe os dados), o Decode (unidade de decodificação) e a memória L2.



Os modelos mais básicos com a arquitetura Bulldozer terão apenas um módulo, o que significa que em teoria são dois núcleos (como exibido na imagem acima). Todavia, não se pode afirmar exatamente que sejam dois núcleos, justamente porque os dois não conseguem trabalhar independentemente (ou seja, não são dois processadores dentro de um). Não que isso signifique que você vai comprar gato por lebre. Na verdade, a estruturação dos blocos internos da arquitetura Bulldozer deve permitir que o ganho de desempenho seja significativo. Segundo as informações da AMD, os processadores com um módulo serão identificados como modelos de dois núcleos, o que não deve causar diferenças na hora da utilização. O sistema operacional reconhecerá e utilizará a CPU como se ela fosse um modelo dual-core.

Desse modo, processadores quad-core trarão dois módulos internos, cada qual com dois núcleos, ou seja, cada par de núcleos compartilhará alguns recursos. Assim também acontecerá com CPUs de oito núcleos, as quais terão quatro módulos (como essa mostrada acima). A AMD informa que essa nova estrutura interna foi adotada para melhorar o desempenho e reduzir custos. A melhoria no desempenho se dará em decorrência do aproveitamento constante dos núcleos. Ao contrário dos antigos processadores AMD, os núcleos dos Bulldozers não ficarão ociosos. Já o custo será reduzido automaticamente, pois considerando o uso compartilhado de recursos, fica evidente que menos peças serão necessárias.

Novas instruções internas

Com o avanço dos processadores ocorreu uma grande evolução nos softwares. Devido a isso, a AMD adotou novos conjuntos de instruções para os processadores Bulldozer. Os conjuntos SSE 4.1 e 4.2 já eram esperados nessa nova linha, as quais servem para aumentar o desempenho com aplicativos multimídia. No entanto, poucos esperavam que a AMD adotasse as instruções AVX – criadas pela Intel. Além disso, a fabricante aproveitou para adotar outra tecnologia presente nas CPUs Intel Core. Trata-se do conjunto de instruções AES, o qual serve para melhorar a criptografia de dados.

E por fim, os Bulldozers contarão com instruções LWP (Light Weight Profile, que em português significa Perfil de Peso Leve), as quais servirão para que os programas possam aproveitar melhor o processamento das CPUs.


Overclock automático e economia de energia


Outras duas novidades devem garantir que os processadores com arquitetura Bulldozer encarem as CPUs da Intel. A primeira é a presença de uma funcionalidade que possibilita ao processador desativar um ou mais núcleos que não estão em uso. Por exemplo: se você está utilizando um aplicativo que não demanda muito poder de processamento, a CPU irá desligar um núcleo para economizar energia.A outra novidade se chama Turbo CORE, tecnologia semelhante à Turbo Boost (presente nos processadores Intel). O Turbo CORE faz verificações constantes no processador para averiguar o quanto de poder de processamento está sendo utilizado. O valor obtido por essa medida é o ACP (Average CPU Power, que em português significa Potência Razoável da CPU).

Vale salientar, no entanto, que o Turbo CORE só altera a frequência do processador caso algum programa ou jogo requisite mais poder de processamento. Além disso, esse recurso limita-se a atuar apenas quando o ACP obtido estiver abaixo do valor máximo, ou seja, se detectado que o chip está trabalhando com folga, o Turbo CORE entra em ação e efetua um overclock automático.


Quando poderei ter o meu?


O lançamento dos primeiros processadores com arquitetura Bulldozer está agendado para o segundo trimestre de 2011. Aliás, a agenda para o mês de junho está repleta de novidades da AMD – ao menos é o que indicam as notícias baseadas em um vazamento de informações. No começo do mês, deve ocorrer o lançamento dos chipsets da série 900 (possivelmente durante a Computex 2011). Em seguida, cogita-se a apresentação oficial da plataforma AM3+ durante a E3. E chegando à metade do mês, devemos conhecer os processadores AMD A (Fussion Llano) e os AMD FX (com arquitetura Bulldozer).

De início, provavelmente seremos apresentados a dois octa-cores, um hexa-core e um quad-core. É difícil dizer se todas essas informações são verdade , todavia, a possibilidade de acerto é grande. Infelizmente não há detalhes sobre preços, portanto teremos de aguardar futuras notícias.

★ Estudo revela que maioria dos brasileiros navega a menos de 2 Mbps

Brasil apresenta o pior desempenho em comparação com outros seis países europeus, mais Austrália e Estados Unidos.


Que, no geral, a banda larga no Brasil não é uma maravilha (nem em termos de velocidade, nem em qualidade) todos já sabiam. Mas um estudo divulgado pelo grupo Nielsen mostra que a situação por aqui é ainda mais desoladora. Em resumo, ele relatou que a grande maioria dos internautas brasileiros navega a menos de 2 Mbps. Para facilitar a exemplificação dos dados brasileiros do gráfico acima, suponhamos que no Brasil existam somente 100 internautas: 31 deles navegam a menos de 512 Kb, 48 acessam páginas da web a uma velocidade entre 512 Kb e 2 Mb, 15 têm conexão entre 2 Mb e 8 Mb e apenas 6 se conectam à rede mundial de computadores com velocidade acima de 8 Mb. Traduzindo um pouco mais, a grande maioria dos brasileiros que acessam a internet (79%), o fazem sob uma velocidade média ou baixa. São poucos (21%) os que navegam a uma velocidade rápida ou super-rápida. Vê-se que, apesar de medidas do Governo Federal para universalizar a banda larga no Brasil, as altas velocidades ainda são caras e estão distantes de grande parte do povo brasileiro.

Se analisando somente o caso do Brasil, a realidade da banda larga se mostra complicada. Quando comparamos o nosso desempenho com o dos outros países pesquisados, a situação fica ainda pior. Suíça, Estados Unidos, Alemanha, Austrália, Reino Unido, França, Espanha e Itália apresentam um quadro geral de banda larga de dar inveja. Fazendo uma média geral entre esses países, os usuários que acessam a internet a menos de 512 Kb são apenas 5,5% (contra 31% do Brasil). Outros 23% se conectam com velocidade entre 512 Kb e 2 Mb (no Brasil essa faixa corresponde a 48% dos acesso). Mais da metade dos internautas de todos esses países (50,5%) navegam pela web com velocidades entre 2 Mb e 8 Mb (no Brasil são apenas 15% dos internautas que navegam nessa faixa de velocidade). Por fim, outros 21% dos que usam a internet nesses sete países o fazem sob velocidade acima de 8 Mb (contra apenas 6% no Brasil).


O estudo, feito em conexões domésticas no mês de fevereiro de 2011, observou ainda que quanto menor a velocidade de conexão, maior o tempo gasto na web, como mostra o gráfico acima. O Brasil, mesmo com as piores velocidades, é o país que passa mais tempo online dentre os pesquisados, uma média de 30 horas/mês.

Isso significa 13 horas a mais que a Suíça, campeã do ranking com maior número de internautas acessando a web a uma velocidade rápida ou super-rápida.


- Copyright © Blog Intelly - Intelly Soluções Inteligentes