Arquivo de 01/09/11 - 01/10/11

★ Resumo: Conferência Microsoft Windows 8 BUILD [vídeo]

Confira todos os detalhes do anúncio oficial do sistema operacional mais aguardado do ano.  
 Começou hoje, às 13 horas (no horário de Brasília), a divulgação oficial do sistema operacional mais aguardado do ano. Desde que foi anunciado, o Windows 8 vem prometendo mudanças drásticas no modo como os usuários utilizam os computadores.

 Os números do passado 
 Como sempre acontece em eventos desse tipo, os executivos da Microsoft começaram o evento mostrando todos os recordes alcançados pelos sistemas anteriores. Foram divulgados os números oficiais das vendas do Windows 7 e também do sucesso alcançado com a versão mais recente do Internet Explorer.

Também foram muito enfatizados os números de outros serviços da Microsoft, como o Windows Live Essentials (que inclui o Live Messenger) e o SkyDrive (serviço online da Microsoft, que permite o acesso de documentos nas nuvens).

Os desafios do futuro 
A Microsoft pergunta aos que estão presentes no evento: "Qual o maior desafio para o futuro?". A resposta é óbvia para quem está ligado no mundo da tecnologia: "Criar novos modos de interação entre máquina e usuário". O touchscreen precisa de muito mais do que apenas toques. Com o Windows 8, a Microsoft deve apostar muito mais nas nuvens, pois sabe que em todo software está incluído um serviço. O apresentador afirma que cada usuário quer estar consumindo e criando ao mesmo tempo. É a era do compartilhamento.

Fazer um Windows 7 ainda melhor 
Se é preciso fazer um novo sistema operacional, é necessário montá-lo compatível com o que já se passou. Por essa razão, todos os aplicativos e componentes de hardware que funcionam atualmente no Windows 7, serão também compatíveis com o Windows 8. Além disso, o novo sistema também deve permitir mais facilidades aos desenvolvedores, que poderão extrair o máximo dos dispositivos de hardware para criar programas e jogos cada vez mais completos. Para mostrar as mudanças da estrutura do sistema, Steven colocou screenshots do Windows 8 e do Windows 7 lado a lado. Com o mesmo computador, rodando os mesmos aplicativos, o novo produto conseguiu rodar os processos com cerca de 100 MB a menos de memória consumida.

A nova interface
Para apresentar as novidades da interface de usuário, a Microsoft chamou Julie Larsons-Green. Já no início ela mostrou o novo modo de inicialização do usuário. Basta deslizar dois dedos pelo touchpad e digitar a senha para que o Windows 8 seja carregado. O processo é muito rápido, sendo quase instantâneo.

A interface Metro é realmente simples. Ela parece uma versão desktop das pastas de aplicativo do iOS, demandando apenas que os usuários arrastem a tela para enxergar outros aplicativos e pastas, podendo até mesmo reorganizar as páginas com o "arrastar e soltar". Utilizando o "Zoom out", é possível visualizar todas as telas de mosaicos. Com poucos passos, ela mostra a facilidade em modificar os nomes de usuário, fotografia de exibição e outros detalhes da personalização, como imagem de fundo a ser exibida na janela de desbloqueio de usuário. Até o momento, o Windows 8 tem se mostrado bastante diferente do que todos conhecemos. Poucas alterações chegaram às janelas do formato padrão de visualização, mas o gerenciador de tarefas chegou com mudanças excelentes. O Painel de Controle é um dos pontos mais modificados, trazendo uma novidade muito interessante. Agora, os usuários podem realizar reinicializações rápidas, sem afetar os arquivos abertos.

A barra de buscas internas do Windows foi reformulada. Agora, sempre que o usuário digitar alguma palavra para buscar aplicativos ou documentos no computador, poderá contar com filtros para refinar as buscas e facilitar o acesso a determinados arquivos.

Compatibilidade total com touchscreen
 Como estão deixando claro há alguns meses, o Windows 8 foi criado para qualquer computador ou tablet. Por isso, é possível perceber que todos os aplicativos, serviços e sistemas internos são compatíveis com os toques na tela. Até mesmo o teclado virtual integrado parece simples, oferecendo teclas grandes para evitar problemas na digitação. Copiar textos da internet também é fácil, pois o "arrastar e soltar ", mais uma vez, mostra-se muito bem feito. Parece que finalmente a Microsoft conseguiu unir o Windows ao suporte Touchscreen de uma maneira satisfatória (muito superior à presente na edição anterior do sistema). Durante a apresentação, Steven voltou ao palco para mostrar um tablet rodando o Windows 8. Não foram dadas muitas dicas acerca de qual seria o aparelho utilizado, apenas que o processador utilizado é um ARM (assim como a grande maioria dos tablets).

 Integração web 
 Julie mostrou os novos softwares de reprodução multimídia. Um dos fatores surpreendentes é a presença da integração com o Twitter (Twit@rama) que o player de músicas apresenta. Com apenas um comando é possível publicar na o que você está ouvindo na rede social.

Novas plataformas
O Windows 8 surge com uma mescla de várias linguagens, facilitando para desenvolvedores que querem ampliar o leque de possibilidades dos usuários. Será possível construir programas em plataformas como C++, C+ VB, Javascript e até mesmo HTML/CSS.

Com o Microsoft Visual Studio será muito simples escolher o tipo de plataforma que será criada. O software de desenvolvimento já conta com a opção "Grid application", criada especialmente para a programação de widgets anexados à interface Metro. O mesmo software permite ajustes simples de praticamente todos os traços dos aplicativos. Com apenas algumas linhas de código, programadores conseguem modificar cores, botões e funções. Parece que os códigos estão muito mais limpos do que os das versões anteriores. Para mostrar essa facilidade, um dos apresentadores criou um software para edição gráfica em cerca de 5 minutos. Nesse tempo ele programou as funções do aplicativo e ainda inseriu a integração com o "Socialite", sistema de compartilhamento de informações em redes sociais.

Um dos pontos mais incríveis apresentados para os desenvolvedores é a facilidade na conversão de linguagem. Pelo próprio Visual Studio é possível criar um programa e rapidamente convertê-lo para que se encaixe em tablets ou smartphones.

Windows Store 
Um dos momentos que todos esperavam chegou com a apresentação da Windows Store. Logo após concluir o aplicativo, o programador da Microsoft mostrou como é simples enviar os softwares criados para a loja de aplicativos do Windows. Para o alívio de todos, antes de serem divulgados e disponibilizados para o público, os programas precisam passar por uma avaliação da própria Microsoft. Isso deve prevenir a presença de arquivos infectados.

Acessar a Windows Store também será muito fácil. Com um atalho na interface Metro, os usuários só precisam de um clique para encontrar aplicativos dos mais diversos tipos. Assim como a Android Market e Apple AppStore, o sistema da Microsoft também conta com divisões por gêneros e preços. A interface criada para a Windows Store é bastante limpa. Com screenshots, descrição e análise de usuários, os consumidores podem ter rápidas impressões dos softwares para saberem se vale realmente a pena pagar por algum programa. Impressionando, a Microsoft anunciou que não terá lucros com aplicativos de terceiros vendidos por meio da Windows Store. Ao contrário do que acontece na Apple App Store, que ganha 30% em cima de todas as vendas, somente os desenvolvedores vão ganhar dinheiro com a venda de softwares.

Para todo tipo de computador 
Michael Angiulo entrou em cena para mostrar que o Windows pode ser utilizado por qualquer computador, independente de qual a arquitetura utilizada pelos processadores. Um notebook mais antigo (vendido originalmente com Windows 7) foi ligado rapidamente, em apenas 8 segundos. Outro mais potente conseguiu realizar o Boot em apenas 2 segundos. Processadores x86, x64 ou ARM são totalmente capazes de executar o Windows 8. E é exatamente por isso que ele pode ser instalado em notebooks, desktops e tablets. Pode também ser executado a partir de pendrives, tornando-se ainda mais portátil.

Os conceitos de Ultrabooks da Intel também estavam presentes. Ultrafinos com armazenamento SSD podem transformar o boot veloz do Windows 8 em um processo ainda mais rápido. Ao mostrar os ultrabooks, a Microsoft mostrou também que o Windows 8 terá suporte nativo a conexões 3G. Para finalizar a apresentação, Steven Sinofsky mostrou que o novo sistema operacional também é indicado para quem utiliza os computadores para trabalhar. Para isso, utilizou um computador mais potente, com dois grandes monitores e muitos aplicativos em execução, exibindo também o poder do multitarefas do

Windows 8. USB 3.0 é uma realidade
Isso já era esperado por todos, mas a confirmação é a animadora. Como mostrado há algumas semanas, o Windows 8 trará Compatibilidade nativa com a tecnologia USB 3.0. Isso garante a transmissão e transferência de dados com muito mais velocidade. Durante a apresentação, um arquivo de 1 GB foi transferido simultaneamente entre portas USB 2.0 e USB 3.0. O padrão mais recente conseguiu quase 10 vezes mais velocidade do que o outro.

Resoluções e Near Field Communication
O Windows 8 garante que monitores de qualquer resolução possam ser utilizados. Dependendo do tamanho da tela, o sistema operacional é alterado automaticamente para se adaptar melhor às limitações impostas pela tela. Se o tablet ou computador for equipado com Sensors NFC, rapidamente podem ser feitas análises de produtos e outros aparelhos que contem com a mesma tecnologia.

Acesso remoto e virtualização 
O sistema de acesso remoto a computadores foi remodelado. Com mais dinamismo nas comunicações, as máquinas podem ser controladas com muita facilidade, incluindo a compatibilidade com o touchscreen. Dependendo das configurações utilizadas, é possível ter acesso a listas de processos e várias outras informações mais avançadas. A virtualização também foi melhorada, permitindo que imagens ISO abertas nos computadores possam ser utilizadas como unidades separadas.

Internet Explorer 10 
Ainda na fase Preview 3, o novo Internet Explorer foi mostrado com suporte para multitouch e rápida alternação entre modos de visualização. Tanto no Metro Style, quanto na visualização padrão, o sistema de navegação permanece simples e intuitivo.


Suporte a canetas 
Com o Windows 8, canetas stylish podem ser utilizadas para desenhos ou mesmo para escrever, pois o sistema identifica rapidamente os caracteres escritos. Isso pode ser utilizado diretamente na tela (pelo touchscreen) ou por mesas digitalizadoras.

Novidades no Windows Live
Os aplicativos do Windows Live Essentials serão totalmente integrados ao Windows 8. Com apenas alguns cliques, os usuários podem cadastrar suas contas para acessar calendários, caixas de entrada de email e documentos no Skydrive. Também é possível integrar contas de Twitter, Facebook e LinkedIn. Acessando galerias de fotografias, torna-se simples escolher imagens rapidamente para criar grupos de arquivos que serão compartilhados. Para isso, basta acessar a barra lateral do Windows 8, clicar em "Share" e escolher a forma de envio (email ou Facebook, por exemplo).

Com o Skydrive, torna-se ainda mais fácil acessar documentos que estão em outros computadores, sem precisar do acesso remoto. Configurando a conta para isso, os usuários conseguem acessar documentos e sincronizar informações em poucos passos.

Summer of Apps 
Para os primeiros aplicativos criados para o novo sistema, a Microsoft recrutou vários universitários ligados à programação para um programa de verão. No período, os jovens aprenderam e trabalharam para montar sistemas e interfaces que serão utilizados no novo Windows.

O que ainda falta para o lançamento oficial? 
Por enquanto, apenas a versão para desenvolvedores deve ser liberada. Para os usuários domésticos, ainda falta o lançamento das versões Beta, RC (Release Candidate), RTM (Release to Manufacturing) e GA (General Availability). Apenas quando todas essas fases forem concluídas será possível encontrar o Windows 8 nas lojas (o que deve acontecer apenas no ano que vem).

Arrume a sua bagunça na biblioteca do iTunes com o TuneUp

Você é daqueles que não se preocupa muito na hora de importar um novo CD para sua biblioteca e só depois que a bagunça já está formada é que vai lembrar de colocar nome e capinha nas faixas?


Pois o TuneUp, que já existia para no Windows, acaba de chegar ao mundo Mac para te ajudar a “pôr a ordem na casa”.


O software é capaz de analisar e reconhecer quais os nomes das música que estão nomeadas — normalmente, como track01, faixa01 e outros nomes automáticos que vemos por aí. Ele também consegue localizar as capinhas de álbuns que estão faltando e sugere algumas opções para completar sua coleção, de forma que você possa tirar todo proveito da visualização no modo Cover Flow. Eu até que tentei ver se o software funciona da forma como eles afirmam, mas devo admitir que a minha biblioteca de músicas é impecável. Só consegui incluir umas duas capinhas de alguns poucos álbuns que não as possuíam, rsrs. Mas fica ai a dica de download que foi pedido de nosso amigo leitor, Marçal.

Baixar Agora - Mac OS X
(Megaupload – 23MB)
*Serial incluso*


Baixar Agora - Windows
(Megaupload - 15MB)
*Serial incluso + iTunes Plugins*




Como apagar todas as suas contas da internet em poucos instantes


Não faça mais um caminho tortuoso para eliminar seus rastros na web. Com este site, você vai direto ao ponto


Ainda estamos longe de contar com um login único e universal para todos os sites na internet. Já existem algumas tentativas bem sucedidas, como o Facebook Connect e o OpenID, mas nenhuma dessas opções teve (ainda) uma grande abrangência na web. Por isso, ainda precisamos efetuar um cadastro diferente para cada site que exige login. E assim, temos diversas contas espalhadas na rede mundial, em vários sites, com usuários e senhas diferentes (ou não).


Sites de promoções, compras coletivas, relacionamentos, jogos, notícias, bancos... O fato é que efetuamos cadastros em inúmeros sites ao longo dos anos que estamos conectados, e esses registros ficarão para sempre na web (a menos que o site saia do ar ou a própria internet). Quem deseja desfazer-se dessas contas, prepare-se: eliminá-las pode ser um verdadeiro sacrifício. Os sites geralmente colocam diversas restrições para tal e a opção de deletar a conta frequentemente fica em algum lugar obscuro, perdido no meio dos menus. Ou seja, assim como qualquer assinatura de um serviço (tv a cabo, celular, jornal, etc), o que os sites querem é dificultar nosso acesso para encerrar o vínculo. Se você quer deletar mais de uma conta, a tarefa pode se tornar interminável. Mas com a ajuda de Delete Your Account, as coisas podem ficar um pouco mais fáceis. Sua função é apontar o caminho mais curto para você eliminar sua(s) conta(s). Diversos sites estão cadastrados em sua base para você deletar uma conta em instantes, como Facebook, Orkut, Google, Hotmail, LinkedIn, Wordpress, Last.fm entre outros. Se você precisa fazer uma faxina na web, Delete Your Account é uma mão na roda e resolve tudo rapidinho. Acompanhe nosso passo a passo e aproveite a comodidade.


Tela Principal
Para começar, acesse o site Delete Your Account. A tela principal é composta por 5 áreas:





01- Localização de sites pela letra inicial;
02 - Mensagem alertando que não é possível digitar seu nome para localizar todos os cadastros feitos com ele na internet;
03 - “What’s popular”: os sites mais populares;
04 - “Search”: campo de busca por sites;
05  - “Just added”: os sites que foram adicionados recentemente.

Localizando Sites
Há varias maneiras de localizar um domínio dentro de Delete Your Account. Você pode encontrá-lo nos sites mais populares, ou nos recentemente utilizados. Se preferir, pode localizá-lo pela letra inicial, ou fazer uma busca por seu nome.

Neste pequeno tutorial, vamos simular a eliminação de uma conta do Orkut, localizando o site através do campo de pesquisa. Para isso, digite “Orkut” no campo em branco (número 4) e clique em Search.


O site abrirá a página de pesquisa. Clique em cima do resultado.



Deletando sua Conta
Logo em seguida, o site exibirá todas as informações de como proceder para apagar a sua conta. Clique no link que aparece ao lado de “Quick Link” para continuar o processo. 
ATENÇÃO! O site mostra um aviso bem claro na parte inferior dessa tela: a exclusão não pode ser desfeita. Por isso, tenha certeza de que deseja apagar a conta.




O trabalho de Delete Your Account encerra aqui. Ele abrirá um link externo (do site do qual você quer deletar a conta) para continuar com o processo. Como estamos simulando a eliminação de uma conta do Orkut, ele abriu o link da rede social. Repare que a página aberta é exatamente a que nos permite deletar o cadastro.


Nesse exemplo, a conta do Google já estava logada e por isso o Orkut não solicitou login e senha. Caso contrário, o site vai redirecionar você para a tela de login. Depois disso clique em “excluir minha conta”.




Mesmo que você já esteja logado, o Orkut vai redirecionar você para a tela de login do Google. Digite a sua senha.






Chegamos na última etapa. Marque a opção de que tem certeza que deseja excluir sua conta no Orkut e por fim, clique em “Remover Orkut”. Caso encerrado.




Lá e de volta outra vez
Assim que apagar um cadastro, basta apenas voltar para o site, caso queira deletar outro. Repita todas as etapas listadas aqui e encontre o link direto para efetuar a eliminação do cadastro nos sites que você deseja.



Delete Your Account prova ser uma excelente opção para quem precisa deletar uma conta, especialmente para quem necessita eliminar várias delas. O catálogo de sites disponíveis ainda não é muito grande, o que deve ser resolvido com o tempo. 

Como as redes Wireless DIDO vão mudar tudo

Steve Perlman, criador da OnLive, agora promete revolucionar mais uma vez, com uma rede de comunicações diferente de tudo que conhecemos.
Imagine se cada dispositivo móvel tivesse sua própria rede de banda larga, sem precisar de um cabo. É dessa forma que Steve Perlman – cientista e fundador da OnLive, o sistema de jogos sob demanda – explica sua tecnologia de "entrada distribuída saída distribuída", (no inglês, DIDO), um circuito de comunicações experimental que pode tornar as redes móveis atuais obsoletas. Hoje, se uma rede transmite um sinal com 100 megabits de banda e 100 pessoas estiverem conectadas a ela, a divisão será igualitária. Ou seja, cada pessoa receberá apenas 1 megabit por segundo. Caso mil pessoas estejam conectadas, essa proporção diminui para 100 Kbps por pessoa e assim consecutivamente. Com a tecnologia DIDO, todos receberiam 100 megabits, independente do número de pessoas na rede.

Steve Perlman ao lado da marca de sua maior criação, a OnLive. (Fonte da imagem: OnLiveFans)“Eu sei que isso parece impossível”, disse Perlman em entrevista à Wired, “mas literalmente, se você possui uma célula de 100 Mbps e existem 100 pessoas nela, cada um receberá 100 Mbps. É realmente impressionante; você não interfere na banda dos outros”. Além disso, de forma resumida, a lista de funcionalidades da rede DIDO parece até boa demais para ser verdade:

 • Sua banda ilimitada eliminará “zonas mortas” e quedas de ligações, independente da localização;
• O sinal é capaz de passar através de objetos que normalmente barram os sinais dos celulares (como elevadores) sem perder a intensidade;
• Não necessita de grandes torres de transmissão; basta uma estação de tamanho modesto;
• Os sinais transmitidos pelas antenas podem chegar a um alcance de até 400 kms.

 Naturalmente, esse desenvolvimento não aconteceu do dia para a noite, e os pesquisadores já trabalham nisso a mais de uma década. Só agora que Perlman lançou um documento explicando o funcionamento da tecnologia, que já está patenteada, e suas implementações.

Entendendo a interferência e a nova visão da rede DIDO
Sempre que há uma transmissão de rádio que se sobrepõe a outra, temos interferência. Um exemplo simples é imaginar o que acontece com rádios AM/FM enquanto se está dirigindo. Ao se distanciar de uma central de transmissão de rádio, uma nova pode começar a se sobrepor, o que gera a interferência entre elas. Isso se estende até o ponto em que só a nova estação esteja ao alcance e somente ela passe a ser ouvida. Por isso rádios com mesma frequência ficam longe umas das outras.

Com os celulares, esse problema se torna mais complexo. Devido à quantidade enorme de dados que é transmitida entre as torres e os aparelhos, diversas técnicas de transmissão tiveram que ser implementadas. Contudo, ainda assim é comum termos quedas de ligação e interferências.

Já a rede DIDO não sofre desse problema. Ela funciona de uma forma que lembra mais uma rede Wi-Fi, mas sem as limitações atuais. Hoje, ao estar conectado sozinho a uma rede Wi-Fi, o usuário recebe 100% do sinal e, ao fazer o stream de um vídeo, ele deverá ocorrer sem problemas. Caso um segundo usuário também se conecte à mesma rede e comece a ver um vídeo, a taxa se torna mais difícil de manter, visto que ambos começariam a “brigar” pela banda disponível.

Mas com um "access point" DIDO esse problema não ocorre. Quando o usuário clica em um vídeo, ele não é enviado diretamente ao computador da pessoa, mas sim a uma central DIDO. Essa central é então responsável por interpretar o dado e transformá-lo em sinal de rádio que será então transmitido ao aparelho do usuário.

Caso um segundo usuário entre na rede, a central processa os dois dados requeridos e envia duas formas de onda diferentes simultaneamente a cada aparelho. Dessa forma, cada um recebe o dado como se estive sozinho na rede, sem haver nenhuma interferência. Por enquanto as pesquisas foram feitas com até 10 usuários na mesma rede, com sucesso. Contudo os pesquisadores afirmam que esse número pode ser multiplicado para um total de mais de 10 mil usuários.

Caso o leitor queira saber mais a fundo o funcionamento dessa tecnologia, vale a leitura do documento de divulgação publicado por Steve Perlman neste endereço (em inglês).

E quais as chances de isso sair do papel?
Por enquanto é natural que todos fiquem ligeiramente céticos em relação a essa tecnologia. Principalmente porque se a DIDO der certo, poderiam ser removidas todas as limitações de banda que hoje existem, principalmente nas transmissões para celulares. E isso pode ser um problema, pois diminuiria os ganhos das grandes operadores de celular, que não teriam alternativa, senão oferecer banda larga de qualidade e ilimitada por um baixo custo. Contudo, se isso realmente funcionar, fará uma diferença completa na maneira que lidamos com redes nos dias atuais.

Hoje, a parte de transmissão é ainda um dos maiores problemas e a tecnlogia disso em celulares ainda se move a passos lentos, em relação a evolução dos aparelhos que nela ficam conectados. Além disso, a rede DIDO exigiria uma grande capacidade de processamento pelo lado dos servidores, devido à grande carga de dados que seria transmitida. Entretanto, pelo lado do usuário, os custos seriam pequenos, pois os "access point" não precisariam fazer muito além de receber o sinal e repassar ao aparelho final. Normalmente um estudo desses poderia passar despercebido, pois parece estar muito à frente da realidade. Contudo, Steve Perlman já provou que pode conseguir grandes feitos. Afinal, quem acreditaria que seria possível jogar Crysis 2 em um computador de baixo custo, possuindo apenas uma conexão com a internet? Portanto se Perlman afirma que a rede DIDO é possível, vamos torcer para que ele esteja certo.

★ Saiba como abrir uma conta gratuita na App Store em qualquer país do mundo

Legal essa App Store Brasil, mas… cadê os jogos? 
Pois é, foi uma das primeiras perguntas que nos fizemos e logo percebemos que nós no Brasil não temos acesso à todos os aplicativos liberados para o público americano. Mas por que isso? Injustiça? Bom, as causas não são muito claras, mas o fato é que nem todos os aplicativos estão disponíveis em todos os países, alguns são limitados geograficamente. Mas ficamos sem nenhum jogo? Pois é, o problema é que todos os jogos eletrônicos vendidos no país precisam de autorização do Ministério da Justiça… Mas enquanto o ministro não libera, que tal se inscrever na App Store americana para ter acesso à todos os aplicativos que a brasileira não tem? Ou na da Argentina, para usar o cartão brasileiro? Vimos pela internet alguns métodos, mas nenhum nos satisfez. A maioria usa sites que divulgam códigos para músicas gratuitas. O problema é que esses códigos têm limite de tempo, e aí o nosso tutorial logo ficaria defasado. Até que descobrimos um método de inscrição fácil na App Store. Não precisa pegar código, visitar site, nada disso. Uma solução simples, como já é típico aqui do Blog. E para demonstrá-la, fizemos um pequeno vídeo explicativo, veja só:


 O bom de abrir uma conta na loja dos Estados Unidos é que você leva, de quebra, a possibilidade de baixar as capas dos CDs diretamente no iTunes, além de poder pegar a música gratuita da semana disponibilizada pela iTunes Store a cada 7 dias. Legal, não é? Obviamente, como você optou por não informar o número do cartão de crédito (pois somente os americanos são aceitos, internacional do Brasil não vale), você só poderá baixar os aplicativos gratuitos. Você pode colocar créditos comprando Gift Cards do iTunes no eBay ou Mercado Livre. Mas tome muito cuidado para não ser enganado nestes lugares, procure sempre alguém que mostre muita segurança (um site no qual confiamos bastante é esse aqui).

NOTAS:

- Este truque vale para abrir contas em qualquer país 

- A Apple ultimamente alterou seu sistema de identificação de endereços, obrigando a fornecer um endereço que realmente exista. Por isso, é importante procurar no Google o endereço exato de um restaurante ou loja existente.
- Pode-se fazer várias contas diferentes, mas cada uma precisa de um endereço email diferente
- Caso você não encontre a opção NONE, você pulou alguma parte, pois o processo continua o mesmo, a Apple não mudou nada.

– Na hora de escolher no Google um endereço americano qualquer, escolha um CEP de um Estado que não cobre imposto local.

– Se você está tendo problema do tipo “Este aplicativo nao está autorizado a executar neste computador”, procure no iTunes o menu LOJA e escolha a opção “Autorizar este computador”.

– É importante ter sempre o último iTunes instalado: http://www.itunes.com.

- Copyright © Blog Intelly - Intelly Soluções Inteligentes